Alerta meteorológico

Alerta meteorológico

A chuva ganhou força em Santa Catarina na madrugada desta quinta-feira (02), os volumes de precipitação superaram os 100 mm na região do Litoral Sul, devido à aproximação de uma frente fria vinda do Rio Grande do Sul. De acordo com o Monitoramento e Alerta da Secretaria da Proteção e Defesa Civil, o avanço deste sistema traz chuvas intensas e volumosas para o Grande Oeste, Planalto Sul e Litoral Sul, especialmente nas áreas de divisa com o estado gaúcho, podendo avançar até as regiões do Alto Vale do Itajaí e Grande Florianópolis. 

Na sexta-feira (03), a frente fria se estabelece sobre Santa Catarina, mantendo a condição de chuva volumosa para as áreas em vermelho e laranja do mapa. Em todo o período também são esperados temporais com descargas elétricas, fortes rajadas de vento e eventual queda de granizo. Os acumulados entre a quinta e sexta-feira devem variar entre 150 mm e 200 mm no Extremo Oeste, Oeste e em áreas do Meio-Oeste, Planalto Sul e Litoral Sul que fazem divisa com o RS, podendo pontualmente superar estes valores. Na metade norte do Meio-Oeste, Planalto Sul, Litoral Sul e nas áreas em laranja do Alto Vale do Itajaí e Grande Florianópolis, os volumes devem ficar em torno dos 100 mm.

Até o momento, 12 municípios registraram informações de ocorrências, sendo eles: Praia Grande, São João do Sul, São Joaquim, Urupema, Painel, Balneário Rincão, Urussanga, Criciúma, Içara, Orleans, Alto Bela Vista e Ipira. Desses municípios, Praia Grande foi o único que decretou Situação de Emergência. Não foram solicitados itens de assistência humanitária.

Uma morte em Ipira foi registrada, mas ainda se investiga se ocorreu em decorrência das fortes chuvas. Além disso, seis pessoas estão desalojadas e seis desabrigadas em Praia Grande, quatro pessoas desalojadas em Orleans, uma família está desalojada em São Joaquim, e 16 pessoas desalojadas em São João do Sul.

Os altos volumes previstos de chuva trazem risco alto para enxurradas e inundações nas bacias hidrográficas nas regiões do Grande Oeste e Planalto Sul catarinense. Entre esta quinta e sexta-feira, são esperadas elevações significativas nos níveis dos rios nestas regiões, principalmente para o Rio Uruguai em municípios de divisa com o Rio Grande do Sul, como Itapiranga, Mondaí, Palmitos e Águas de Chapecó, além de municípios próximos aos Rios Chapecó, Chapecozinho e do Peixe. 

Nestas bacias, o risco também é alto para enxurradas, principalmente em áreas mais próximas às cabeceiras das bacias, e em riachos e ribeirões que atravessam as cidades. Para as bacias do Litoral Sul, principalmente dos Rios Mampituba e Araranguá, e do Rio Canoas, na região do Planalto Sul, o risco é alto para enxurradas e moderado para inundações. Indica-se também a condição de atenção para possibilidade de enxurradas e inundações para as bacias hidrográficas do Alto Vale do Itajaí e Grande Florianópolis, onde, de acordo com o aviso meteorológico, há divergências entre os modelos meteorológicos quanto à localização da posição das chuvas.

Da mesma forma, com a previsão das chuvas acumuladas entre quinta e sexta-feira, as condições geológicas apresentam risco muito alto nas áreas em vermelho no mapa, principalmente para o Extremo Oeste, Oeste e Meio-Oeste catarinense. Eventos pontuais de deslizamentos podem ocorrer em áreas fragilizadas em cidades nas regiões de Chapecó, Concórdia e Campos Novos. O risco é alto para deslizamento e fluxo de detritos nas áreas em laranja do mapa, como parte do Grande Oeste, Planalto Sul e Litoral Sul. 

Pode-se ressaltar áreas com histórico de ocorrências, como São Joaquim, Timbé do Sul e Praia Grande na região serrana do sul do estado. Ressalta-se que as movimentações do solo podem ocorrer pontualmente em áreas já mapeadas com risco de deslizamentos e áreas fragilizadas pelo encharcamento do solo das chuvas que já vêm ocorrendo nos últimos dias. Dessa forma, recomenda-se ainda ficar atento aos sinais de movimentação do solo, como trincas em paredes e muros, inclinação de postes e árvores, além de estalos nas áreas de encosta.

Fonte: Secretaria de Estado da Proteção e Defesa Civil de Santa Catarina

Leia também